Degustação: Café Kenya – Starbucks

Convenhamos, um bom cheiro de café logo cedo, pode mudar seu humor, né?

Se tem uma coisa que sou (viciada) apaixonada, é por café! E sendo assim, sempre que posso tomo um bom café. E mais que um bom café, adoro experimentar as variações de grãos e sabores que podemos encontrar.

Uma bela tarde por um Starbucks perdido em SP (Na verdade, no Starbucks do Shopping Eldorado ♥) decidimos ver como é o processo de degustação que a Starbucks oferece!
A degustação é free, grátis, na faixa! Sim, café grátis na Starbucks!
As degustações (na loja do Eldorado, pelo menos ) ocorrem às 16h, e para participar, basta conversar com um dos baristas e manifestar seu interesse.
No horário marcado, eles iniciam o processo de apresentação do time e do café do dia. Os baristas que fazem as apresentações tem ‘graduação’ em café, eles conhecem sabores, aromas, grãos e modo de preparo.

DSC_0953

DSC_0943

O café é moído na hora, e preparado na prensa francesa.
O preparo com uma prensa francesa, preserva os óleos naturais do café que o filtro de papel absorve, e extrai o sabor do café por inteiro, proporcionando uma consistência mais densa.

DSC_0947_2

Fiz a degustação do café Kenya.
O Kenya é um café de torra média (nem tão amargo, nem tão suave). E ele é considerado um café cítrico, que no meu paladar remeteu a 2 ‘sabores’: a casca da laranja e um sabor terrado (♪ cheiro de terra molhada ♫). Ah, e por ter esse toque cítrico, dizem os baristas que ele é um bom café para se tomar gelado!
As etapas de apresentação e degustação, são acompanhadas também de harmonização de alguns itens do cardápio do Starbucks.
E para a harmonização o time escolheu: suco de laranja e bolo de laranja com cobertura de chocolate.

DSC_0944

Se engana quem pensa que você simplesmente senta e toma o café comendo e bebendo as harmonizações… O time da Starbucks senta, apresenta o café e as principais características, e te ensina 3 passos super legais para de fato degustar um café (OBS: degustação engloba entender as características e sabores do café, por isso é feita sem açúcar!) :

1° Características no cheiro: para começar a identificar características do café, antes de prova-lo você deve senti-lo. Para inciar, você deve fazer uma ‘cabaninha’ em sua xícara, deixando somente um dos lados aberto para que o cheio saia. Esvazie os pulmões longe da xícara, e volte a inspirar na cabaninha, sentindo os aromas do café. Nesta etapa, algumas características do café já poderão ser identificadas.

2° Sucção do café: Sabe aquela coisa de fazer biquinho e sugar, fazendo barulho? Pois é, por mais estranho que seja, ela faz parte da degustação. Essa sucção faz com que, além do aroma, seja ingerido o líquido em pequena porção, fazendo com que as glândulas do paladar sejam aguçadas, e o sabor se torne mais claro.

3° Identificação de sabores e Harmonizações: Neste momento, em um bate papo você diz quais as características do café identificou, à que lembra, etc. Na sequencia, é feita a harmonização com os itens escolhidos pelo time.
Os itens da harminização são incríveis porque, sem adição de açúcar, realçam e tornam o café mais doce!

Importante: Na degustação não existe certo/errado. As características que você identificar, são únicas e suas. O que para mim na primeira etapa remeteu a um sabor ‘terroso’, para um amigo, foi algo voltado à baunilha! Sabores e memórias são individuais!

Vale a pena fazer o teste e degustar. Os cafés da Starbucks tem características próprias e alguns diferenciais que valem a pena serem lembrados.
Ah, e não desanime por eles serem em grãos: A Starbucks mói o café de acordo com o método que você for passa-lo (Cada meio – cafeteira, prensa francesa, filtro de papel – tem uma granularidade específica), moer o grão na hora, preserva as propriedades e características de cada café!

Para quem gostar de café, é muito válido sentar 30min e desfrutar de sabores diferentes.
Para quem não gosta, faz um teste, quem sabe não encontra um café com características que te agradem?

SP Tour: Desvendando a Vila Madalena

Já faz um tempo que venho ensaiando conhecer um pouco mais de SP.. Afinal, nasci em SP, vivo em SP e não tenho a pretensão de ir morar fora de SP (pelo menos por enquanto!), e quando vejo algumas coisas por ai, falando de toda a cultura e diversidade que vivemos por aqui, vejo que na verdade, pouco conheço da minha terra…
Por isso, resolvi agora, fazer tour e conhecer a fundo todos os cantos dessa cidade ♥
Opcionalmente: A pé, utilizando transporte público, e tendo a chance de ver os detalhes, ponto a ponto!

Comecei pelo atual bairro mais queridinho de SP: A Vila Madalena!
A vila, vem sendo o point de SP, não só pelos seus old points de bares e baladas que compõe os melhores picos, mas também pela sua cultura de rua, que proporciona acesso a todos, ali, pelas ruas mesmo.
Planejei minha rota, passando pela feira da Benedito Calixto, Igreja do Calvário, Beco do Batman, Escadaria do Patápio e Armazém da cidade.

  • Feira Benedito Calixto

A feirinha da Benedito Calixto é um clássico! Por lá você vê Várias peças antigas que são verdadeiras relíquias (conjuntos de prata, porcelanas trabalhadas), moedas de colecionador, vinis, câmeras antigas, brinquedos clássicos, canetas, relógios … E pelo meio da feirinha, ainda encontra barracas de petiscos, comida Baiana, comida Saudável, Empanadas, pastéis… nhami! rs
E ainda tem um chorinho delícia que dá vontade de sentar e ficar a tarde toda ouvindo!

Ás voltas da feirinha, você encontra diversos galpões.. São feiras comunitárias, cada um vende seu produto, porém não tem box separando as vendas, e é um ajudando  o outro, em um clima muito amigável e receptivo, você encontra diversos produtos de diversas frentes…

  • Igreja do Calvário

No fim da Feira da Benedito, lá no Alto, fica a Igreja do Calvário. No tour de arte de rua, ela tem destaque por ter seus muros todos com grandes artes grafitadas! São enormes paredões com grafites coloridos que simbolizam SP.
Ela começou a ser construída em 1923 e passou por diversas fases de construção. De longe dá para ver a construção imponente da igreja.

O Mural do lado externo foi feito por Eduardo Kobra, em 2012 e leva o nome de “Viver, Reviver e Ousar”. Ele faz referências é diversos pontos turísticos do Mundo, com destaque ao Monumento das Bandeiras, marco de São Paulo.

  • Beco do Batman

No pico mais badalado da vila Madalena , encontra-se uma verdadeira galeria de arte á céu aberto. O Beco do Batman teve sua história iniciada na década de 1980 quando foi encontrado paredes do bairro um desenho do homem-morcego dos quadrinhos. Foi o pontapé para que grafiteiros disputassem cada espaço de parede para lançar sua arte.

De verdade, os grafites são um show a parte! São detalhistas, ocupam cada espaço de parede, se ligam à elementos da natureza, ou fazem com que a arte passe por cima dos elementos. Chamam a atenção por cores, muito bem utilizadas e combinadas. E se olhar pra cima, vai ver arte nas partes altas dos prédios também! É um show visual andar por lá (E os vários gringos que você encontra transitando por lá, também concordam, hehe).

 

  • Escadaria do Patápio

É uma senhora subida: A escada tem 94 degraus.
E uma senhora arte: revitalizada agora em 2015, a escada passou a contar com revestimento de azulejos brancos, decorados pelo artista plástico Élcio Torres. A cada bloco de degraus, um desenho e uma poesia ♥ .

Espalhados pelas laterais da escada, você encontra também diversas plantinhas, que tem como vaso, diversos itens inusitados (de pedaços de cano a sapatos!), dando mais arte à escadaria.

 

  • Armazém da Cidade

O Armazém é um centro de muita gastronomia e música boa. Quase todo domingo por ali, acontece o Jazz na rua.
Como fui no sábado, o Jazz não estava na rua, mas estava rolando dentro do armazém. Música muito boa, por sinal!
No armazém, variedade de barraquinhas com pratos diferentes (nas pegadas de gourmetização !)  é grande, para se refrescar, uma boa variedade de cervejas e petiscos para sentar, ouvir uma boa música, papear e relaxar!

armazem01

Resumão do tour: Um show visual pelas ruas, o bom convívio entre as pessoas renova a energia, é um passeio leve que dá gostinho de ‘quero mais’. Vale a pena andar pelo bairro, não só para um tour, mas para sentar na ruinha de paralelepípedo, com uma cerveja e desfrutar do clima e som espetaculares.

Vila Madalena, você já está no meu